Protestos na Era da Pandemia

Em um primeiro momento, a pandemia levou à diminuição dos protestos de rua, mesmo em países que viviam ciclos importantes de conflito. Isso não significou, no entanto, o fim da mobilização. Outras formas de protesto emergiram ou foram intensificadas (como os panelaços e as formas de ativismo digital). A partir de maio, houve uma retomada dos protestos de rua em várias regiões do mundo. A foto ao lado mostra como os participantes dos protestos vincularam a pandemia a questões como racismo e desigualdade.

:@renatocortezbr/ Mídia NINJA

Dados sobre Protestos Relacionados à Pandemia

O Armed Conflict Location & Event Data Project (ACLED) lançou o COVID-10 Disorder Tracker, para sistematizar dados sobre protestos e conflitos relacionados à pandemia em várias regiões do mundo. Inclui desde episódios de violência contra trabalhadores da saúde até protestos contra medidas de isolamento.


Cruzes na AREIA E NA GRAMA HOMENAGEIAM MORTOS

Ato no gramado em frente ao Congresso Nacional em homenagem às vitimas do Covid-19 e contra o governo do Presidente Jair Bolsonaro
Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Em memória aos mortos pela pandemia, ativistas colocaram mil cruzes nos gramados da Esplanada dos Ministérios (Brasília), no domingo 28 de junho.

Fonte: Reuters

A ONG Rio de Paz já havia feito um protesto similar no dia 11 de junho, na Praia de Copacabana.


Paralisação Nacional dos Entregadores de Aplicativo

Os trabalhadores de serviço de entrega dos aplicativas fizeram uma paralisação nacional no dia 1º de Julho de 2020 no Brasil. O material de chamada para participação da paralisação, tanto dos entregadores quanto dos usuários dos aplicativos de entrega, está sendo publicado nas contas do Twitter e Facebook do “Treta No Trampo“.


DIA DAS MÃES NO MÉXICO: PROTESTOS ONLINE E OFFLINE

Foto da campanha

O Movimiento por Nuestros Desaparecidos en México, formado por mais de 60 coletivos mexicanos e de três países da América Central, demanda que o governo mexicano não pare as buscas dos 61 mil desaparecidos e que sejam acelerados os esforços para a identificação de mais de 37 mil corpos. No Dia das Mães (10 de maio), manifestantes tomaram as ruas mas também usaram formas de protesto digital, inclusive uma marcha digital. A tradicional Marcha de la Dignidad Nacional: Madres Buscando a sus Familiares Desaparecidos, la Verdad y la Justicia, foi feita pela primeira vez em forma digital. Participantes postaram fotos online com máscaras, nas quais estava escrito: “onde estão?” Além disso, comunicaram-se usando hashtags como #YoApoyoParaEncontrarles, #HastaEncontrarles, #NosHacenFalta e #10DeMayoNadaQuéCelebrar. Para mais informações, ver também esta análise de Thomas Aureliani.


%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close