Participação e Representação Política: teorias e práticas

Coordenadora: Debora Rezende de Almeida

Esta linha de pesquisa trata da ação dos atores sociais em sua interação com o Estado a partir de três perspectivas teóricas: participação, deliberação e representação políticas. Abarca projetos de pesquisa que tratam da participação da sociedade em instituições participativas e para além delas; dos processos e instituições de deliberação, tanto de um ponto de vista micro quanto sistêmico, e da representação política nas arenas eleitorais e não-eleitorais. No campo da representação política, as pesquisas envolvem uma retomada teórica dos diferentes sentidos do conceito, ao mesmo tempo que buscam repensar dimensões clássicas, como accountability e responsividade.


Ativismo institucional e instituições políticas

Coordenadora: Rebecca Abers

As análises desenvolvidas no âmbito  desta linha de pesquisa investigam a relação entre movimentos sociais e burocracias, com foco no papel de diversos tipos de atores na construção de instituições e políticas públicas. Chamamos a atenção para as especificidades e variedades de ativismo – entendido como ação proativa em defesa de causas contenciosas – dos atores estatais. O exame das lutas e estratégias de redes de atores que atravessam e interconectam o Estado e a sociedade possibilita abrir a caixa-preta do Estado, lançando luz sobre sua heterogeneidade e sobre as dinâmicas de poder e de contestação no seu interior.


Mobilização e Práticas Digitais: entre redes, ruas e gabinetes

Coordenadora: Marisa von Bülow

A pergunta de pesquisa geral que orienta os trabalhos desta linha é: quais são os impactos das novas tecnologias digitais na política? Reúnem-se ao redor desta linha de pesquisa projetos que vão desde o tema da governança da Internet até os impactos das novas tecnologias nas formas de organização de movimentos sociais, nos repertórios de ação coletiva e em processos eleitorais. O grupo também contribui ativamente para os debates metodológicos sobre processos de coleta e análise de dados de mídias sociais e plataformas online.

Movimentos sociais no sistema político brasileiro: ativismo, representação e novas tecnologias gabinetes

Coordenadoras: Marisa von Bülow e Rebecca Abers

Movimentos sociais no sistema político brasileiro: ativismo, representação e novas tecnologias. Descrição: Nos últimos anos, fortes mudanças na política brasileira vêm transformando as condições e desafios de ação dos movimentos sociais. A Pandemia da Covid-19 adicionou mais uma camada de crise na vida política e social. A pesquisa examina como movimentos buscam enfrentar estes desafios. Como os movimentos interpretam as crises em curso e como esta interpretação afeta sua construção de enquadramentos e repertórios de ação coletiva? A pesquisa se da principalmente através de estudos de caso sobre diferentes movimentos sociais. Outro projeto desta linha de pesquisa é o Repositório Mobiliza Covid que divulga informações sobre a atuação da sociedade durante este momento. Também estamos estudando novas formas de representação eleitoral, os “mandatos coletivos”, e outras inovações na relação entre movimentos sociais e instituições políticas.